quarta-feira, 28 de fevereiro de 2018

Caso ‘Nezinho’ - Dois meses de um crime hediondo ainda sem solução

A vítima Nezinho
O servidor público José Alves da Silva, conhecido como ‘Nezinho’, foi encontrado morto em um terreno baldio próximo ao Bairro Jerusalém, em Poção de Pedras. O corpo semi-despido apresentava resquícios de crueldade, com várias perfurações de arma branca. O (s) autor (es) ainda atearam fogo na motocicleta da vítima, numa tentativa clara de apagar pistas.

Passado-se quase dois meses do crime, ocorrido no dia 12 de janeiro deste ano, chocando os moradores da pacata cidade, não foi até o momento apresentada nenhuma resposta; não há pistas de quem tenha sido os autores, nem as circunstâncias que ocasionaram o assassinato brutal. Segundo informações, a polícia teria coletado imagens de câmeras de segurança fixadas na casa prefeito, que fica próxima do bairro, com finalidade de detectar o exato momento em que ‘Nezinho’ passa em sua motocicleta – se estava acompanhado, ou foi seguido por alguém.

Ainda de acordo com as informações, algumas pessoas da Rua São Sebastião, onde a vítima residia, tiveram seus depoimentos colhidos. Testemunhas teriam visto homens suspeitos tomando fuga por uma estrada vicinal do Povoado Folguedo. – Tudo leva a crer que a Polícia Civil tenha tomado frente das investigações e ainda esteja conduzindo-as de forma bem sigilosa.

Porém, para a família, que entrou em contato com o blog, tem sido angustiante todos estes dias de silêncio. As irmãs da vítima temem que este venha a ser mais um entre inúmeros crimes cometidos no Brasil que ficam sem elucidação, impunes e permanecem sem solução.





0 comentários:

Postar um comentário

Fique a vontade, sua opinião é livre e de grande importância; contudo é de inteira responsabilidade do leitor e não representa a opinião do autor desta página. Prezamos pela ética e pudor. Os comentários serão publicados em até 24 horas após passar por análise.