terça-feira, 26 de abril de 2016

Humilhação! Marcos Pacheco é demitido da Secretaria de Saúde sem saber

Marcos Pacheco enquanto secretário em visita ao prefeito Júnior Cascaria.
O governador do Maranhão, Flávio Dino (PCdoB), humilhou o médico Marcos Pacheco, que foi exonerado, ainda há pouco, da Secretaria de Estado da Saúde (SES).

A humilhação ocorreu porque Pacheco foi demitido sem saber. Ele estava numa reunião com membros do Banco Mundial, no próprio Palácio dos Leões, tratando de empréstimos para o setor de Saúde, quando Dino tomou a decisão.

A saída de Pacheco da SES foi resultado da sua péssima gestão, com uma Saúde Pública do Estado precária e falta de pagamento dos Institutos que administram os hospitais, aos profissionais da saúde.

Em seu lugar, ficará no comando da Secretaria de Saúde o advogado e adjunto da pasta, Carlos Lula.

No dia 07 de outubro de 2015, dias a frente da Secretária de Saúde, Marcos Pacheco fez uma visita ao prefeito de Poção de Pedras, Júnior Cascaria, a fim de vistoriar o local de construção do Hospital de 20 leitos e as condições do atual prédio onde funciona o Hospital Público do município.

O secretário, com perspectivas otimistas, prometeu a retomada das obras que estão até então paralisadas (reveja aqui).

Já que a palavra do agora ex-secretário caiu por terra, visto que o governador não atendeu o apelo dos prefeitos do interior do Maranhão, que clamam por uma maior atenção à saúde dos municípios, e aqui em Poção de Pedras não houve até agora a retomada da construção do hospital, que teria previsão para o término em julho deste ano, resta torcer que o novo secretário sensibilize o governador a olhar com atenção à situação da saúde pública principalmente no Médio-Mearim, onde as obras da Secretaria do Estado da Saúde encontram-se abandonadas.

Com informações de Luís Pablo

0 comentários:

Postar um comentário

Fique a vontade, sua opinião é livre e de grande importância; contudo é de inteira responsabilidade do leitor e não representa a opinião do autor desta página. Prezamos pela ética e pudor. Os comentários serão publicados em até 24 horas após passar por análise.