domingo, 30 de agosto de 2015

Calamidade pública na terra do ‘gás’: Sem ambulância, grávida perde a vida

Minard

Parturiente vítima do descaso do poder público em Santo Antônio dos Lopes
Parturiente vítima do descaso do poder público em Santo Antônio dos Lopes
Mais uma jovem parturiente morreu no interior do Maranhão pela falta de ambulância e Unidades de Saúde que tenham a capacidade de atender a demanda de seu município e região.
Desta vez, a morte precoce de uma grávida aconteceu na cidade de Santo Antônio dos Lopes, no último dia 18. A gestante entrou na sala de parto do Hospital Municipal por volta das 10hs horas da manhã e apresentou hemorragia às 14 hs.
Sem suporte para cuidar do caso, e para variar, sem ambulância para transportá-la, a paciente precisou ser conduzida para Presidente Dutra onde há um hospital de urgência e emergência para cuidar de gestantes.
Como não havia ambulância e nem outro meio de conduzi-la, foi feito contato com uma unidade de Capinzal do Norte. Quando o veículo chegou a Santo Antônio dos Lopes, quase uma hora depois que a paciente apresentou hemorragia, ela já estava praticamente sem vida.
Os médicos informaram que a gestante precisava de uma bolsa de sangue e também de um balão de oxigênio, mas na ambulância de Capinzal não tinha, e infelizmente a grávida não conseguiu sobreviver, somente o bebê.
Indignados com o descaso por parte do governo municipal, de responsabilidade do prefeito Eunélio Mendonça, moradores de Santo Antônio dos Lopes irão realizar um protesto com o tema “Calamidade Pública na terra do Gás”, nesta sexta-feira (28), para chamar atenção do poder público e pedir justiça pela morte trágica da gestante.

0 comentários:

Postar um comentário

Fique a vontade, sua opinião é livre e de grande importância; contudo é de inteira responsabilidade do leitor e não representa a opinião do autor desta página. Prezamos pela ética e pudor. Os comentários serão publicados em até 24 horas após passar por análise.